Criador curriculo online

Formação acadêmica no currículo

Saiba como criar um currículo chamativo elaborando a seção educacional corretamente.


Depois da seção de experiência profissional, o próximo fator mais importante que os gerentes de contratação examinam em um currículo é a sua formação acadêmica. Muitas vezes, haverá um requisito de educação para o trabalho que você deseja.

Para garantir que um gerente de contratação saiba que você atende a esse requisito, inclua sempre uma seção de educação em seu documento profissional.

A seção de educação informa a um empregador se você atende aos requisitos educacionais para uma determinada posição ou vaga de emprego oferecida no mercado de trabalho. Seu currículo deve sempre incluir esta seção, independentemente do nível alcançado pelo candidato.

Neste artigo, você aprenderá como criar sua formação educacional, bem como quais informações você deve incluir na seção, escrevendo corretamente sua formação acadêmica e cursos que complementam sua experiência, valorizando o que você fez de bom e eliminando os excessos.

Experiência profissional ou formação acadêmica: O que incluir primeiro

Essa é uma questão complicada de responder, afinal, como já foi dito em diversos artigos relacionados ao tema, o formato de um currículo pode ser algo muito individual e depender única e exclusivamente do candidato, no entanto, há uma estrutura básica a se seguir, onde tradicionalmente os recrutadores estão a procura de certos dados e informações pessoais, profissionais e também educacionais de cada aspirante.

Vale lembrar que o feeling que os candidatos têm quando leem a descrição das vagas é importantíssimo e talvez esse sentimento possa responder a essa pergunta, afinal, o currículo sempre deve ser adaptável a cada candidatura, portanto, é de responsabilidade do dono do documento formatá-lo de acordo com a vaga oferecida.

Por exemplo, se em um anúncio o candidato lê que para o cargo é necessário um diploma em engenharia mecânica, neste caso, é possível que no perfil profissional descrito a experiência de trabalho possa vir primeiro do que a seção de educação, afinal, é esperado que os gerentes de contratação recebam currículos exclusivamente de profissionais graduados no curso especificado na oferta de emprego.

Por outro lado, se em um anúncio é descrito que todos os cursos de engenharia são válidos, o profissional pode optar por colocar sua seção educacional antes da seção de experiência de trabalho, detalhando em qual modalidade se especializou.

Também existem algumas outras dicas que podem ajudar as pessoas com diferentes perfis educacionais. Se você já procurou formatos de currículo online, com certeza já viu os dois modelos de currículo, onde tanto a educação ou a experiência podem ser os protagonistas. Então, como você decide qual é o melhor para o seu perfil?

Se você acabou de se formar, considere colocar sua formação acadêmica antes de sua seção de experiência de trabalho. Isso porque você provavelmente tem mais experiência educacional do que experiência de trabalho neste momento de sua vida.

Mas se você é um profissional que recentemente voltou à escola para obter um novo diploma, talvez também queira considerar colocar sua formação acadêmica no currículo em primeiro lugar, especialmente se o seu novo diploma for relevante para o trabalho para o qual você está se candidatando.

A educação também supera a experiência de trabalho quando você está escrevendo um currículo acadêmico. Para cargos acadêmicos ou associações, sua formação acadêmica é muito mais importante do que sua experiência fora da academia. Estes tipos de currículos escrito exclusivamente para a academia deve destacar as pesquisa e experiência de ensino, publicações, subsídios e bolsas de estudo, além das licenças profissionais, reconhecimientos e quaisquer outros detalhes em sua experiência que o tornem o melhor candidato para uma faculdade ou posição anunciada por uma universidade.

Para o caso de profissionais experientes e com muitos anos de trajetória laboral, coloque sua seção de histórico de trabalho antes de sua educação. Os recrutadores acharão sua experiência de trabalho muito mais relevante neste momento da sua carreira.

Entretanto, mesmo com anos de carreira, vagas que requerem certos atributos, como gestão de pessoas, gerenciamento de departamentos ou habilidades específicas que são temas muito tratados em cursos de especialização, pós graduações e MBAs (Master in Business Administration ou Mestre em Administração de Negócios), destacar a seção de educação certamente tornará o seu currículo muito mais atraente e promissor.

Para ressaltar o seu nível de educação, coloque esta seção diretamente abaixo de seu objetivo de carreira ou resumo de qualificações, mas caso não queira enfatizá-la, coloque esta seção após a experiência profissional.

Isso depende do que você acredita que os contratantes buscam em um candidato, não há uma regra específica do que deve vir primeiro, porém, é necessário saber descrever as informações sobre seus estudos de forma adequada, sendo assim, veremos alguns exemplos das diferentes maneiras de apresentar sua formação educacional em seu currículo com ótimas dicas para deixar o seu perfil profissional sempre atualizado.

Como listar sua formação acadêmica no seu currículo

Apesar de parecer uma tarefa fácil, os currículos são difíceis de serem elaborados pela maioria das pessoas, mesmo sob as circunstâncias mais simples.

Este desafio torna-se ainda mais assustador quando você precisa criar estratégias sobre algo sensível ou complexo, como não ter um diploma ou um curso não concluído.

Muitos se perguntam “Onde eu coloco minha educação no currículo, no topo ou no final do documento?”. “E quanto a datas? Você as lista ou não?” “Devo citar os cursos que ainda não foram concluídos?” “Devo citar participação em comitês?”

São inúmeros os questionamentos que podem surgir, afinal, a seção de educação é dura e sinceramente, não há leis inflexíveis sobre isso, mas, para evitar o erro da maioria dos candidato a empregos, aqui estão alguns conselhos sobre como administrar melhor este trecho e como listar sua formação acadêmica no currículo.

A informação essencial para incluir na seção de educação é o seu grau ou níveis educacionais e as escolas que você frequentou, no entanto, nada impede do candidato fornecer informações mais específicas, incluindo suas principais conquistas. Você também pode incluir o ano em que se formou, embora isso não seja obrigatório.

Inclua também quaisquer honras ou prêmios que você tenha recebido nas instituições de ensino, também são válidos cursos extracurriculares e certificações de desenvolvimento profissional, o candidato também pode listar quaisquer licenças que tenha, a menos que prefira conter uma seção separada em seu currículo, onde inclua essas informações.

É importante iniciar pelo último grau de escolaridade que possui no caso de ser um curriculo para estudante, ou seja, quem não tem nível superior deve citar primeiro o nível médio, e assim por diante, dessa forma, liste suas qualificações na ordem das mais recentes e mais relevantes primeiro. Dê detalhes sobre o título da sua qualificação, onde você estudou, e a data em que você a alcançou. Se você tem um PhD, dê o título completo do PhD e o(s) nome(s) de seus orientadores.

Mas cuidado! Não inclua qualificações sem relevância para o trabalho. Também é totalmente plausível incluir qualificações que ainda está cursando atualmente, desde que deixe claro que ainda não as concluiu.

Você pode usar o modelo a seguir para ajudar a estruturar a seção de educação do seu currículo profissional. Tenha em mente que você pode alterar e remover qualquer uma dessas informações para adequar-se às suas próprias circunstâncias e ao trabalho para o qual você está se candidatando.

SEÇÃO DE EDUCAÇÃO

Nome da faculdade
Ano da Graduação
Nome do Curso

Prêmios e honras
Inclua quaisquer conquistas acadêmicas aqui.

Certificações
Inclua quaisquer certificações profissionais ou educacionais que você tenha recebido.

Desenvolvimento profissional
Inclua quaisquer experiências de desenvolvimento profissional, incluindo cursos (online e presenciais) e seminários. Você também pode mencionar aqui se você é um membro de qualquer organização profissional relevante. Se você tiver uma posição dentro da organização, mencione isso também.

Conselhos para escrever a formação acadêmica em seu currículo

Um currículo pronto não pode conter detalhes sobre tudo o que você já fez, sabemos que é difícil transmitir anos de estudo e experiência em poucas palavras, mas o candidato deve pensar no que é relevante para este trabalho, por exemplo, se você tem muitos diplomas e qualificações de pós-graduação, mas o trabalho para o qual você está se candidatando é de nível sênior, não há necessidade de incluir detalhes de cursos de nível básico.

O conceito de “menos é mais” se aplica aqui também. Nem todos os treinamentos adicionais precisam ser listados, apenas aqueles associados ao trabalho em questão. Da mesma forma, o ensino primário não pertence ao currículo; ocupa apenas espaço desnecessário.

Se você concluiu uma formação profissional e isso é relevante para a vaga, adicione-a à sua formação acadêmica. Forneça o nome da organização de treinamento, a localização, o trabalho para o qual você foi treinado e a nota final, mas apenas se ela for boa.

Normalmente, você deve estabelecer seu histórico educacional listando primeiro o grau mais recente ou avançado, trabalhando em ordem cronológica inversa. Mas há exceções. Digamos que você tenha se formado recentemente em biologia, mas agora está trabalhando no campo de publicidade e propaganda, uma área totalmente diferente e ainda está buscando oportunidades nesse ramo profissional. Se você possui um curso específico de marketing, aliste-o primeiro para atrair a atenção do revisor.

Se você se formou em, digamos, nos últimos três anos, é apropriado mencionar honras acadêmicas ou papéis de liderança extracurricular (mas não se eles são políticos, religiosos ou controversos). Depois de ter dois ou três anos de experiência de trabalho no mercado profissional, você deve abandonar as atividades relacionadas à escola de seu perfil profissional, mencione-as apenas se julgar realmente relevante, no entanto, a experiência laboral certamente trará mais destaque ao seu currículo para os contratantes.

Caso tenha frequentado a faculdade ou outra instituição de ensino, mas não tenha se formado, inclua as datas que você freqüentou e qual foi o curso escolhido. Não há necessidade de mencionar o motivo de ter interrompido o curso, contudo, tenha em mente que isto poderá ser questionado em uma etapa presencial.
Da mesma forma, se você freqüentou o ensino médio, mas não se formou, basta mostrar os anos em que participou.

Ainda outra possibilidade é realmente descrever quaisquer projetos de curso que estão relacionados ao seu trabalho de destino. Essa pode ser uma boa abordagem para candidatos que não possuem muito ou qualquer experiência de trabalho relacionada ao que desejam.

Por exemplo, uma pessoa que está apontando para um trabalho com foco em tecnologia da informação, pode descrever um projeto de programação que envolveu a criação de um banco de dados complexo do programa Excel. Se você recebeu algum reconhecimento pelo projeto ou uma nota excepcional, você também pode mencioná-los no currículo pronto.

A maioria de nós tem coisas do nosso passado que gostaríamos de disfarçar em nossos currículos. Se acontecer de o seu calcanhar de Aquiles cair na seção de educação, seja estratégico, mas nunca seja desonesto, pois mentir nunca vai acabar bem. Se você acha que sua seção de educação é um pouco leve, carregue esta parte educacional com outros cursos profissionais que julgar relevante.

Se você não foi para a faculdade ou fez apenas alguns cursos, não precisa listá-los. Claro, você também tem a opção de deixar a faculdade totalmente fora do seu currículo, o que se torna uma opção melhor à medida que você ganha experiência de trabalho relevante e válida.

Há muitas coisas que você pode incluir em seu currículo além da faculdade para destacar e provar suas qualificações para um trabalho. Cursos relevantes, prêmios, certificações, posições voluntárias e até mesmo clubes e hobbies podem ser incluídos adequadamente em outras seções de seu documento, basta saber como fazê-los.

Outra dica muito importante é que você esteja preparado para discutir seus cursos universitários em sua entrevista quando chegar a hora. É uma boa ideia treinar em casa com familiares e amigos, preparar-se para possíveis perguntas de por que você não concluiu seus cursos, ou o que foi abordado em cada matéria. Não deixe de ser honesto e direto, lance sua decisão da maneira mais lisonjeira possível, sem culpar a instituição ou ser negativo.

Lembre-se sempre de que as duas secções chave do seu currículo profissional são a sua formação acadêmica e a experiência de trabalho. Se você não fizer isso corretamente, seu currículo será imediatamente colocado no lixo, por isso siga as dicas do artigo, os conselhos citados e promova a adaptação do documento de acordo com o seu perfil pessoal e para cada vaga que for se candidatar, essas pequenas ações irão ajudá-lo a elaborar a seção educacional da forma correta e a se vender de forma mais eficaz oferecendo mais chances de ser convocado para as etapas presenciais. Boa sorte.