Criador curriculo online

Idiomas no currículo

Aprenda a incluir suas competência linguísticas no currículo e torne-se um candidato global


Independentemente do trabalho que você está se candidatando, os gerentes de contratação geralmente esperam que você tenha excelentes habilidades de comunicação escrita e verbal, mas, dependendo da posição, você precisará ser capaz de se comunicar efetivamente em idiomas diferentes da sua língua materna.

Um bom candidato deve mostrar que possui habilidades superiores de comunicação para quase todos os trabalhos que possa ser contratado, no entanto, se o cargo exige um nível de proficiência em um idioma estrangeiro, qual a melhor maneira de mostrar a eles que você tem o que é necessário?
Neste artigo mostraremos como mostrar suas competências linguísticas elaborando um currículo convidativo para uma possível entrevista em inglês, espanhol, francês, russo, japonês, mandarim…

 

Devo colocar idiomas no currículo?

Devo colocar os idiomas que sei no meu currículo? A resposta é sim!
Nos atuais ambientes de trabalho, as habilidades linguísticas são um atrativo para os empregadores, portanto, detalhar sua proficiência nos idiomas desejados pode destacar você de outros candidatos com qualificação semelhante.

Fazer um currículo com competências linguísticas é um ótimo caminho para se sobressair da multidão que também está em busca de um emprego.

Sejamos honestos, até mesmo as habilidades mais limitadas em idiomas estrangeiros são impressionantes por si só. O inglês, por exemplo, tornou-se uma língua internacional, isso porque atualmente os Estados Unidos domina a economia mundial e a necessidade de saber a língua já é requerida em diversas empresas, principalmente as de âmbito global, mas outros idiomas como o espanhol, francês, mandarim e italiano vem logo atrás.

A maioria dos recrutadores e empregadores espera que suas contratações em potencial consigam manter uma conversa pelo menos em inglês. Daí já dá para ver a importância de aprender um novo idioma, certo? Mas se você já tem uma boa base desta ou de outra língua, é hora de demonstrar no papel as suas habilidades em um curriculo.

Ao detalhar os idiomas em seu currículo, considere a relevância para seu empregador alvo. Se eles têm escritórios no país de destino e você é fluente nesse idioma, liste-o. Por outro lado, se você está considerando observar as habilidades linguísticas adquiridas em um curso de línguas estudado há uma década ou duas, pense duas vezes.

O importante antes de colocar idiomas no currículo é pensar em como as habilidades linguísticas serão úteis em sua função de destino e, em seguida, avaliar se o seu nível de competências o equipará para essa tarefa. Se isso não acontecer, você pode optar por deixá-las de lado ou declarar a intenção de desenvolver as habilidades necessárias por meio de treinamento específico em uma escala de tempo definida.

Por exemplo, se ao candidatar-se a um cargo na Itália, declarar que você se matriculou em um curso de Italiano para negócios de três meses é provavelmente mais informativo do que reivindicar italiano em conversação, concorda?

Dessa forma, analise bem antes de decidir por colocar as habilidades em uma língua no CV, se suas competências em um idioma não são suficientes para executar as potenciais funções, é melhor deixar tais informações de fora do seu currículo.

Onde colocar idiomas no currículo?

Todos sabem que um bom exemplo de currículo exibe informações de maneira organizada e clara. Com isso em mente, sempre surge a dúvida de onde você deve apresentar seus assuntos de proficiência linguística.

Existem diferentes opiniões sobre onde estas informações deveriam aparecer, no entanto, o posicionamento mais comum é que os dados da proficiência linguística de um candidato devem ser listados na seção “habilidades” ou “sumário de qualificações” de um currículo. Isso faz sentido lógico porque conhecer outro idioma é uma habilidade extremamente útil, além disso, nossa recomendação seria apresentar suas competências no idioma no topo da seção porque, vamos encarar, é uma das habilidades mais importantes que um candidato pode ter.

Se o seu currículo for do tipo cronológico, é possível incluir estes dados na seção de “informações adicionais”, no entanto, para este exemplo de currículo, geralmente esta parte é uma das últimas a serem inseridas, portanto, uma alternativa estratégica pode ser incluir as habilidades idiomáticas na seção educacional.

Uma dica particularmente importante é para candidatos interessados ​​em um trabalho diretamente relacionado à língua estrangeira. O currículo inteiro deve “ilustrar” sua proficiência no idioma, incluindo detalhes sobre o assunto nas várias seções do documento, por exemplo, na seção “experiência profissional” ou “histórico acadêmico” não se esqueça de incluir como você usou uma língua estrangeira em vários trabalhos. Essa é uma boa maneira de mostrar suas competências ao invés de apenas informar os recrutadores sobre seu idioma na parte dedicada às habilidades.

Pense o seguinte, se a vaga que você se candidata é para um emprego para o qual as habilidades linguísticas são altamente importantes, escolha um formato de currículo que as destaque. Você também pode ter uma seção específica de “idiomas” que forneça informações mais detalhadas sobre sua capacidade, mas isso somente se você fala em idiomas suficientes para garanti-la.

Outra opção é mencionar as competências linguísticas no objetivo do currículo, caso seja uma habilidade indispensável para a vaga.

Como escrever conhecimentos de línguas estrangeiras no seu CV

À medida em que mais empresas globais entram no mercado nacional, os contratantes estão à procura de candidatos fluentes em línguas estrangeiras. O mesmo se aplica às pessoas que almejam trabalhar em outros países. Essa demanda oferece oportunidades incríveis para os candidatos a emprego com habilidades relevantes de língua estrangeira.

Mas a maneira como você declara a sua capacidade de falar um idioma no seu currículo é muito importante. Quando a descrição da vaga inclui a necessidade de falar outras línguas, não basta apenas citar esta habilidade, é importante resumir suas habilidades e mostrar como você pode agregar suas competências trazendo benefícios para o cargo.

A primeira coisa é descrever o nível das habilidades linguísticas em um currículo.

Existem várias escalas e maneiras diferentes de medir a capacidade de linguagem. A menos que a habilidade do idioma seja fundamental para o trabalho, você deve apenas descrever seu nível com uma ou duas palavras, algo como: básico, fluente ou nativo.

Para que você tenha uma idéia mais clara do seu nível, segue uma escala de habilidade de linguagem:

    • Fluente: essencialmente significa que a pessoa mantém uma conversa fluida e precisa no idioma.
    • Proficiente ou avançado: significa compreender bem o idioma e usá-lo de maneira mais formal, mas não de forma fluente.
    • Intermediário: significa que a pessoa mantém conversas básicas em várias situações, mas ainda comete muitos erros.
    • Básico: significa basicamente que a pessoa é um estudante da língua e gosta de trabalhar com ela, mas não pode depender de aplicar essa linguagem de forma confiável em uma situação do mundo real.

Você também pode incluir o número de anos que você estudou na frente do seu nível e até o nome da instituição de ensino se assim desejar.

Existem outras opções de descrever suas competências linguísticas no CV, mas sempre lembre-se de analisar se seu nível fará diferença para a vaga em questão, um nível básico em um idioma provavelmente pouco importa para uma posição, talvez é melhor nem citá-lo.

Uma experiência significativa trabalhando ou estudando em um idioma estrangeiro também pode ser citada, inclua isso além da sua certificação em seu currículo. Por exemplo:

5 anos de experiência trabalhando com clientes que falam inglês
1 ano de imersão no ensino médio no Japão

Se você tem uma qualificação em um idioma, pode incluir isso em sua seção “educação” ou “qualificações”. Eles são essenciais se você está se candidatando a um emprego no exterior, Os certificados de idiomas mais reconhecidos para o inglês em empresas e universidades são por exemplo TOEFL e IELTS e se o candidato obteve boas pontuações, especifique isso no seu CV, exemplo:

“Inglês: leitura e escrita (intermediário), oral (avançado); Pontuação no TOEFL (iBT): 100/120”.

Nunca minta no seu currículo sobre sua capacidade de linguagem!

Nunca minta no seu currículo sobre sua capacidade de linguagem nem sobre qualquer outro aspecto.

Seu currículo pronto deve ser coerente com o que você apresenta de fato em habilidades e competências profissionais. Mentir ou exagerar nos seus conhecimento idiomáticos pode colocá-lo em uma situação muito embaraçosa e comprometer sua integridade.

Se os requisitos de uma vaga exigem um determinado idioma, certamente testarão os candidatos nas entrevistas, mas mesmo que isso não aconteça, quando descobrirem que você não pode falar a língua conforme mencionado no currículo, você pode ser demitido.

Mantenha o compromisso de garantir as qualificações verdadeiras, mesmo na condição de um curso de treinamento por exemplo, é mais apropriado listá-lo desta forma.

Se acredita que suas habilidades não são suficientes ainda, invista em algum treinamento de idiomas ou experimente alguns dos muitos recursos gratuitos disponíveis on-line.

Uma característica muito mais desejada pelas empresas hoje em dia, aliás, muito mais do que saber falar um idioma, é a ética dos seus futuros candidatos.