Devo colocar minhas redes sociais no meu currículo?

As redes sociais são ótimas referências de informações pessoais de cada pessoa e a cada dia que passa, elas são mais populares.

Todo mundo, incluindo a sua avó, usa as mídias sociais atualmente, mas isso não os torna especialistas em marketing digital, certo?

Por isso, na hora de perguntar “devo colocar minhas redes sociais no meu currículo?” pense bem se esta é uma estratégia bacana que o destaca frente à milhares de outros candidatos, afinal de contas, elas têm sido utilizadas por empresas para avaliar a personalidade dos candidatos aspirantes nos processos seletivos.

redes sociais no currículo

Com as opções de currículo já disponíveis no LinkedIn e as novas lançadas no Facebook, é hora de descobrir se você está ampliando as suas chances de ser chamado para uma entrevista incluindo as redes sociais em seu currículo ou não.

Se você quiser evitar que os potenciais recrutadores revirem os olhos para o seu currículo, faça a si mesmo essas cinco perguntas antes de adicionar suas mídias sociais ao seu histórico de trabalho.

  1. Eu uso as redes sociais apenas para uso pessoal? Se a resposta for sim, então você provavelmente não deve adicionar as redes sociais ao seu currículo – seria o mesmo que dizer que você se apresentou como voluntário em um abrigo de animais, então agora tem experiência em veterinária.Mesmo que você crie conteúdos com algum valor, mas gerencie contas apenas para si, atuar como um gerente de uma comunidade, criador de conteúdo profissional ou gerente de mídia social não é a mesma coisa.

Essas são profissões sérias e remetem a construir estratégias e escrever em uma voz completamente diferente e com um propósito diferente – sem mencionar que você pode ser colocado em posição de escrever sobre coisas que você pode não estar interessado, ou até mesmo discordar.

  1. Eu tenho documentado meu sucesso usando as mídias sociais? Um potencial empregador perguntará sobre seus sucessos com cliques em links e taxas de engajamento. Se você não tiver exemplos claros, não deverá reivindicar ser um especialista em mídia social e pode evitar inserir suas redes no currículo.

Agora, isso não significa que você precisa ter trabalhado para uma empresa mega conhecida, mas talvez tenha obtido sucesso em um blog que gerenciou. Você deve ser capaz de falar sobre alguns desafios e como você os superou.

  1. Um recrutador ficaria impressionado com a minha linha do tempo? Dê uma olhada na sua linha do tempo do Facebook, Twitter ou Instagram e pergunte a si mesmo se este histórico é profissional o suficiente, diversificado e bem executado.

Não adianta achar que os contratantes vão se impressionar com fotos de balada ou de viagens que são super curtidas e comentadas. Isso pode até transmitir a ideia de que você tem vários amigos e é carismático, mas é melhor se destacar nessas qualidades de outra forma.

  1. Minhas redes sociais são profissionais o suficiente?

Se eu resolver adicionar minhas redes sociais, elas são profissionais o suficiente? Existem erros gramaticais? Você usa imagens de forma efetiva? Você está atualizado sobre as últimas tendências e ferramentas?

Você deve procurar ter uma marca pessoal clara, com mensagens consistentes e apropriadas.

5. Tenho experiência em marketing?

A mídia social é uma forma de marketing digital. Se você tem essas habilidades, a resposta sobre adicionar suas redes sociais no currículo é SIM!

Se você possui a capacidade e a competência de debater grandes campanhas que filtram objetivos de marketing específicos, você certamente sabe como pensar estrategicamente sobre possíveis cópias, diretrizes de plataforma, imagens, influenciadores e muito mais.

Para muito empregos isso é importante, portanto, inclua suas redes sociais como estratégia para chamar mais atenção.

Outro questionamento importante a ser feito é se você quer trabalhar com mídias sociais. Se o emprego for relacionado a este ramo, é importante que você mostre suas habilidades deixando os links disponíveis.

Quais redes sociais incluir no meu currículo?

Isso é fácil; você deve sempre incluir o LinkedIn. Se você é um profissional ou aspirante profissional, você deve estar no LinkedIn e esse perfil social deve ser incluído em seu modelo de currículo.

O LinkedIn demonstra que você é experiente, moderno e entende a identidade visual. Como o marketing aparece em quase todas as profissões atualmente, se você puder mostrar que entende a marca pessoal, terá uma vantagem.

Há um problema, no entanto. Apenas ter um perfil no LinkedIn não é bom o suficiente. É melhor que seja otimizado. Isso significa que seu perfil precisa ter uma foto adequada (e profissional), um resumo bem escrito e uma seção abrangente de experiência de trabalho no mínimo!

Além disso, não escreva seu resumo na terceira pessoa. Seja autêntico e conversacional, porque mais uma vez, este é o seu aperto de mão digital. Você se apresentaria na terceira pessoa pessoalmente? Provavelmente não.

As redes sociais são um diferencial

Muitas vezes, adicionar as redes sociais no currículo pode ser um diferencial. Candidatos a emprego precisam encontrar maneiras novas e inovadoras de se destacarem da multidão.

Os recrutadores olham para dezenas de currículos todos os dias, talvez essa seja uma boa forma de prender sua atenção! Se a resposta do teste acima foi sim para todas as perguntas, listar seus perfis de mídia social em seu currículo como um aprimoramento permite que você evolua de um pedaço de papel unidimensional para uma versão dinâmica e interativa de si mesmo e de suas realizações.

Isso faz de você uma pessoa real, ao invés de um pedaço de papel. Considere o seu aperto de mão digital.

Mas mesmo as suas respostas nas perguntas acima não tenham sido todas afirmativas, não desanime. Você pode abrir seu próprio caminho para ganhar as experiências de que precisa.

No entanto, antes de listar todas as contas sociais em seu currículo, primeiro você precisa entender o valor que cada perfil oferece em conjunto com seus esforços de branding pessoal e de trabalho. Você também precisa entender completamente como cada rede funciona, especialmente dos pontos de vista de segurança e privacidade.

Vale até incluir as redes sociais no seu currículo quando fizer um trabalho freelancer em seu tempo livre ou se for voluntário em um departamento de marketing sem fins lucrativos.

Outro ponto essencial é que você faça o que for preciso para obter uma experiência de mídia social documentada, assim como em qualquer outra área de trabalho é importante nos especializarmos, principalmente para evitar que possíveis empregadores usem seu estructura do currículo como alvo de dardos.

Mas lembre-se. O pior erro que você pode cometer é ter um perfil público com conteúdo que não deseja ser público. Além disso, independentemente de você incluir ou não seus perfis, é seguro esperar que os possíveis empregadores pesquisem você no Google de qualquer maneira, de modo que controlar suas configurações de privacidade é uma tarefa obrigatória a partir de agora, ok?