Ter passado por muitas empresas prejudica meu currículo?

Esse é um questionamento feito por muitos candidatos, principalmente aqueles que ficaram por pouco tempo nas companhias em que trabalharam.

Na verdade, isso depende de cada pessoa e cada empresa. Caso a passagem por várias companhias se dão a partir de projetos com duração determinada, isso não te prejudicará se você deixar as informações claras no currículo. Por outro lado, imagine aquele profissional que ficou menos de 1 ano em cada empresa durante grande parte de sua carreira, não tenha dúvidas de que isso pode ser um empecilho na sua candidatura.

Mas calma! Você não precisa contar tudo a um empregador. Às vezes, o que você escolhe para deixar de colocar em seu currículo é tão importante quanto o que você inclui. Além de não revelar por que você saiu de um emprego ou se foi demitido, aqui estão algumas outras coisas que você deve guardar para si mesmo para evitar prejudicar suas chances.

Fazer um curriculum vitae é a chave para ser chamado em uma entrevista de emprego. Com um grande número de candidatos, os empregadores escolherão aqueles que lhes parece mais interessado neles e na oportunidade.

Neste artigo o leitor vai aprender a como não prejudicar seu perfil profissional ou sua candidatura caso tenha exercido papéis em diversas empresas diferentes. Saber escrever um currículo coeso e com as informações primordiais para candidatar-se à uma vaga de trabalho é o que você precisa aprender para não fazer feio na hora da aplicação.

Como escrever um currículo tendo passado por muitas empresas?

Existem dois perfis de candidatos, aquele que já trabalhou em diversos lugares mas demorou numa empresa, trabalhando um bom tempo em cada posição e possuem muita bagagem profissional e aqueles que também atuaram em várias companhias, mas permanecendo pouco tempo nos cargos exercidos.

A primeira dica que podemos dar é que independente do perfil de candidato que mais se adequa à você, o importante é certificar-se de que seu currículo é coerente, dando sentido a cada etapa ou progressão na carreira.

Para aquelas pessoas que são contratadas como funcionários temporários, é orientado especificar que o emprego se deu por contrato em tempo pré determinado, e que você esteve alocado nos projetos X, Y ou Z e assim sucessivamente. Deixando as informações claras no documento, os potenciais recrutadores saberão que a passagem por várias empresas é na verdade benéfica.

Mas se o seu histórico de trabalho é fraturado, junte temas de carreira mais gerais (como atendimento ao cliente, marketing e assim por diante) que são relevantes para o trabalho para o qual você está se candidatando. Em seguida, apoie-os com detalhes selecionados que mostrem que você tem as habilidades e a experiência necessárias.

No caso do candidato já ter passado por muitas empresas, mas o tempo de permanência não foi curto em cada posição exercida, não há problema em destacar toda a sua experiência. Mas cuidado! Por conta desta vasta vivência no ambiente profissional, seu currículo poderá ficar muito grande, o que não é interessante. Currículos longos não prendem a atenção dos contratantes e são descartados rapidamente.

O currículo tem o objetivo de posicionar o candidato para o papel. Isso significa que você pode apresentar seu histórico de trabalho de qualquer maneira ou formato que desejar, independente de quantas empresas já fez parte, a estratégia aqui é de destacar os detalhes mais relevantes ou pendentes para o trabalho que deseja exercer.

Seja claro como a posição ofertada e a cultura da empresa se encaixam nos seus objetivos de carreira. Se você é um candidato com um histórico de trabalho diversificado, você precisará explicar por que você acha que esse papel é a combinação perfeita para suas habilidades e interesses.

 

Foque a confiança nas suas habilidades

A maioria dos empregadores é tradicional, é verdade, mas existem aqueles que valorizam o fato do empregador ter vivenciado diversas culturas empresariais diferentes.

É quase certo que poderão indagar o motivo que o levou a adentrar em tantos trabalhos e organizações diferentes, mas isso não deve ser visto apenas sob uma ótica ruim ou como um ponto fraco, afinal de contas, independente da quantidade em empresas em que atuou, cada uma dela, em algum momento, escolheu você entre milhares de outros aspirantes para a mesma vaga. O motivo de ter deixado cada posto de trabalho também é muito particular.

No entanto, não dá para ser específico a este ponto no currículo, por isso o candidato deve destacar e escrevê-lo de forma a incitar essa curiosidade nos recrutadores e gerentes de contratação.
As empresas querem alguém que possa trabalhar com supervisão mínima. Não revele a falta de confiança sobre os elementos cruciais e técnicos do papel. Leia a descrição do trabalho e a especificação pessoal para que você possa preparar exemplos sólidos de como você implantou habilidades vitais ou demonstrou as principais qualidades pessoais.

Os gerentes de contratação poderão ficar em dúvida se é válido recrutá-lo para o processo seletivo, em vista do padrão veloz de mudança de emprego, afinal de contas, a companhia corre o risco de você sair, novamente, depois de ter trabalhado por um período curto e ficou pouco tempo numa empresa.

Caso exista alguma situação como essa no seu currículo, não se preocupe, pois não é o fim do mundo. Um candidato pode ter tido a má sorte de iniciar um trabalho em uma empresa que estava prestes a fechar, ou, inclusive, ter deixado um posto por conta de uma oportunidade melhor ter aparecido.
O que poderá comprometer o currículo profissional é ter muitas passagens em diferentes empresas pelo mesmo motivo.

Sendo assim, o seu currículo deve ser focado nas habilidades e competências que você adquiriu durante todos esses anos.

Destaque no topo do CV o seu sumário de apresentação e em seguida, um resumo das suas características profissionais mais marcantes. Posteriormente, coloque algumas empresas em que trabalhou, especifique os cargos e atividades, mas não dê ênfase para as datas. Essa é uma forma de chamar a atenção para outros atributos e não para o tempo de passagem em cada empresa.

Mas não pense que assim você estará enganando o recrutador. Pelo contrário, ele verá todos esses pontos e tempo de permanência em sua carteira de trabalho. Portanto, você deve se preparar para as etapas presenciais do processo seletivo.

Na entrevista, esteja preparado para a indagação das razões que o fizeram passar por tantas empresas. Responda honestamente, se necessário, admita deficiências para demonstrar autoconsciência, mas depois diga como você está remediando a situação.