Como responder: Pontos fortes e fracos numa entrevista de emprego

Como responder: Pontos fortes e fracos numa entrevista de emprego

Uma entrevista de emprego nunca é igual a outra. Mudam os candidatos e recrutadores, as características da conversa se diferenciam a cada oportunidade, porém o processo costuma ter algumas etapas que sempre se repetem. Uma delas é a auto avaliação de pontos fortes e fracos.

Sabendo disso, muitas pessoas desejam criar uma lista que resolva a questão de uma vez por todas — esquecendo de adaptá-la às particularidades de cada candidatura…

Mas não se preocupe porque neste artigo você vai encontrar ótimas dicas de como descobrir e ajustar essa resposta para sempre causar a melhor impressão nas entrevistas.

Pontos fortes e fracos numa entrevista

A melhor forma de mencionar pontos fortes e fracos na entrevista de emprego

Ao recorrer à essas questões que envolvem auto avaliação, os recrutadores não têm intenção de lhe deixar na berlinda.

Essa técnica é usada para levantar algumas características de sua personalidade e determinar se você terá uma atitude profissional e madura diante dos desafios que um cargo envolve. Por isso, na maioria das vezes, eles se importam tanto com “o que” você seleciona nesses pontos quanto com o “como” você os aborda.

Sabe aquela expressão “transformar um limão em limonada”? Essa mentalidade é uma ótima pedida para você não se frustrar com tudo isso. Afinal, avaliar-se com cuidado também será útil em seu desempenho na entrevista.

Dicas para elaborar sua lista de pontos fortes e fracos

Criar uma lista abrangente é uma boa estratégia para ter sempre a melhor resposta quando o assunto são pontos fortes e fracos. Assim, você pode usar o seu melhor julgamento a cada entrevista para escolher somente o que vale a pena mencionar.

Isso mesmo, a ideia é se aprofundar na reflexão agora para ter mais segurança sobre o que responder em cada ocasião. Então, prepare a sua lista levando em conta os seguintes fatores:

  • Sinceridade. Se a sua resposta parecer calculada para agradar, o resultado pode ser o oposto do desejado. Evite distorcer o sentido das coisas, por exemplo, mencionando “perfeccionismo” entre seus pontos fracos para fazer um autoelogio.
  • Relevância. Uma resposta muito genérica ou fora do contexto profissional pode fazer com que o recrutador perca o interesse.
  • Concisão. Salvo seja solicitado um número específico, você não precisa citar mais do que 3 pontos fortes e 3 pontos fracos — nem se alongar demais nos comentários.
  • Narrativa. Por mais que a sua resposta deva ser concisa, procure conectar as ideias, como se ligasse os pontos para contar uma história.
  • Atenção. Entrevista é diálogo, ação e reação. Então, ouça mais e dê espaço à sua percepção, sem se prender a uma fala decorada.

Pontos fortes

Nem sempre é fácil falar bem de si mesmo. É preciso equilibrar seus argumentos para convencer os recrutadores sobre seus pontos fortes sem correr o risco de soar arrogante. Aproveite, pois encontrar uma forma atraente de mencionar suas habilidades é algo muito útil para qualquer entrevista! Então, não caia na tentação de dizer algo como “sou proativo e altamente motivado”.

Elabore sua história somando bons conceitos e fatos, tal como no exemplo abaixo:

“Tenho facilidade em resolver problemas porque me acostumei a ouvir as pessoas em vez de deduzir uma resposta apressadamente. Procuro criar uma relação de empatia para que o cliente perceba que a empresa realmente se importa com a opinião dele. Talvez seja por isso que meu atendimento sempre tenha ficado entre os 3 primeiros no ranking de avaliações”.

Pontos fracos

Embora essa parte seja um pouco mais estressante, é possível falar sobre seus pontos fracos sem prejudicar sua candidatura. Para isso, o ideal é admitir uma fraqueza em algo que não seja essencial para o cargo em questão — ou mencionar uma competência à qual você vem se dedicando a aprimorar.

Inspire-se neste exemplo para se expressar sobre seus pontos fracos com assertividade:

“Costumo ser autocrítico e, às vezes, fico pouco à vontade para fazer perguntas e pedir esclarecimentos. Quando tive que me comunicar com uma equipe latino-americana, em meu cargo anterior, percebi que precisava melhorar meu espanhol.  Agora estou fazendo um curso intensivo e me esforçando para deixar de lado a timidez nos assuntos profissionais”.

Força nessa resposta!

Muitas pessoas sentem dificuldade em reconhecer as próprias qualidades ou admitir alguma fraqueza que possa ser melhorada. Mas encare isso com positividade e você verá como uma boa auto avaliação dos pontos fortes e fracos conta a seu favor em uma entrevista de emprego.